24 de maio de 2013

GUIA DE DUBLAGEM (26): MISSÃO IMPOSSÍVEL / 1ª TEMPORADA



 Missão Impossível foi uma série que,  mesmo sem efeitos digitais, baseados apenas em trucagens cinematográficas, com um excelente trabalho de seus atores, diretores, produtores e do criador Bruce Geller, a série se tornou um ícone do século XX, influenciando em outras séries de tv e também na indústria do cinema.


Naquela época, o que havia de similar no gênero “espionagem” eram as séries Agente 86 (comédia) e O Agente da UNCLE, basicamente uma sátira da espionagem. Mas não havia nenhum programa que tinha o espírito de James Bond na tv, com ação, suspense, equipamentos e lugares exóticos.Bruce era natural de Nova York e desejava criar e produzir algo inovador para a promissora televisão a cores, tendo por base que ele era muito influenciado pelos filmes de ação da década de 1950 e pela febre “James Bond” da década seguinte.

Com estes ingredientes, Bruce criou o primeiro esboço do novo programa de televisão. Batizado de “Brigg’s Squad”, um grupo chefiado por Daniel Briggs recebia ordens do serviço secreto americano e realizava missões perigosas para assegurar a paz mundial e a segurança nacional. Em seu grupo, haviam especialistas responsáveis por tarefas definidas para a realização da trama: um técnico em eletrônica, mecânica e metalurgia; um especialista em disfarces e dialetos; uma mulher sexy; e um homem-faz-tudo musculoso.

 Para o chefe Dan Briggs foi escolhido o ator Steven Hill, que já era um ator conhecido na tv, mas que acabou não sendo uma boa escolha. Hill era judeu ortodoxo, não podendo trabalhar após o meio-dia das sextas-feiras até o pôr-do-sol do sábado. Como as filmagens se encerravam às 18 horas das sextas-feiras, por ordem do Sindicato dos Atores, muitos problemas aconteceram, como atrasos nas filmagens.

Há aqueles que nem conhecem o personagem Dan Briggs, pois a primeira temporada de “Missão Impossível” nunca mais foi exibida na televisão.Hill foi suspenso no meio da 1ª temporada e, mais tarde, ficou sabendo através dos jornais que outro ator havia sido escolhido para o seu papel: Peter Graves.


**A SOBREVIVÊNCIA DA DUBLAGEM**

O fato da 1ª temporada ter sido completamente "esquecida" fez com que a sua dublagem fosse preservada. 

Peter Graves, que assumira a liderança a partir da 2ª temporada, foi um grande sucesso e permaneceu até o encerramento da série, em 1973, com a 7ª temporada.

A Desilu, vendida para a Paramount em meio da 3ª temporada, operava com diversas distribuidoras pequenas e a 1ª temporada de Missão Impossível estava nas mãos da distribuidora "Saturno", porém como as emissoras não se interessavam pela 1ª temporada, devido a ausência de Peter Graves, ela provavelmente, só foi exibida apenas uma vez, na estreia da série, na TV Excelsior, em 1967.


Segundo fontes da Viacom, a pequena distribuidora "Saturno" ainda possui os direitos sobre as dublagens em português e espanhol da 1ª temporada, a qual não se dedica mais a filmes e séries de tv, tendo diversificado com outras atividades. O fato é que essa distribuidora franqueou os direitos da dublagem para a Paramount, a fim de que esta pudesse lançar, exclusivamente só em dvd, para o Brasil e América Latina.

Parece inacreditável, mas nos Estados Unidos, a Paramount tem os direitos de produção e imagens desta 1ª temporada, porém as dublagens em português e espanhol pertencem a outra empresa.

Infelizmente, da 2ª a 7ª temporadas de Missão Impossível eram de competência da distribuidora Brás Continental e o áudio em português teve o mesmo destino que as demais produções que estavam sob seu domínio, além de não conservarem o áudio durante os anos, perdendo episódios, a série também ficou sem a dublagem.


Conforme apuramos, a Viacom relatou que ainda havia episódios dublados das diversas temporadas, porém muito poucos e praticamente repletos de problemas de áudio, cerca de 2 a 15 em cada temporada, o que não interessava à Paramount financeiramente, preferindo legendar as temporadas com o ator Peter Graves.

Assim, o único box que trouxe a dublagem da AIC, em perfeito estado, foi somente o da 1ª temporada.


**A DUBLAGEM AIC**

A AIC dublou as 3 primeiras temporadas de Missão Impossível, sendo a 4ª  dublada pelo estúdio TV Cinesom/RJ e a 5ª, 6ª e 7ª temporadas dubladas pelo estúdio Álamo.

Alguns colecionadores possuem episódios avulsos com as dublagens desaparecidas, mas não há interesse da Paramount em recuperar o áudio.

Assim, como só temos a 1ª temporada com a dublagem completa da AIC, efetuamos o guia de dublagem, demonstrando a qualidade dos dubladores envolvidos, a qualidade da mixagem realidade pela AIC, enfim, um trabalho que, felizmente, sobreviveu às arbitrariedades de uma distribuidora.


Conforme a saudosa Helena Samara nos relatou, a emissora (no caso a TV Excelsior), tinha muita pressa para a exibição, devido ao enorme sucesso nos Estados Unidos. Dessa forma, a dublagem foi intensa por cerca de 3 meses em meados de 1967.


A direção de dublagem coube a Wolner Camargo, o qual escalou dubladores excelentes para os convidados também. Assim como a série O Túnel do Tempo, a 1ª temporada de Missão Impossível primou pela qualidade extraordinária de todos os dubladores.


Verifiquem o elenco de vozes, como um todo, o qual demonstra o pleno apogeu da AIC em qualidade !!



**ELENCO FIXO / PERSONAGENS / DUBLADORES /**


**Steven Hill (Dan Briggs): Wilson Ribeiro.


**Martin Landau (Rolin Hand):

Rolando Boldrin (1ª voz) e Aldo César (2ª voz).

**Barbara Bain (Cinamon): Helena Samara.


**Greg Morris (Barney): Ary de Toledo.


**Peter Lupus (Willy): Rebello Neto.


**Voz do gravador: Wolner Camargo.


**Abertura da série: 

Antônio Celso (1ª voz) e Ibrahim Barchini (2ª voz).

OBS 1> Há indícios de que a dublagem não tenha sido realizada pela ordem de produção dos episódios, pois após Aldo César assumir a dublagem do ator Martin Landau, o dublador Rolando Boldrin retorna em 2 episódios.

OBS 2> Os indícios apontados na observação 1, também se apresentam quanto ao narrador da abertura, onde após Ibrahim Barchini assumir a narração, Antônio Celso retorna em 1 episódio. 


OBS 3> Os episódios citados nas observações anteriores, possuem um adendo.


OBS 4> Há diversos figurantes nos episódios. Sendo assim, adotamos o critério de

relacionar (quando houver), os nomes dos dubladores que participaram dublando policiais, vendedores, guarda-costas, entregadores das gravações, etc.


**ATORES CONVIDADOS / DUBLADORES / 28 EPISÓDIOS**



01 - PILOTO

*Harry Davis (coronel Alísio): José Soares.
*Wally Cox (Terry Targo): Older Cazarré.
*Joe Breen (gerente do hotel): Magno Marino.
*Josh Adams (guarda): Emerson Camargo.


*Participam os dubladores: Neuza Maria, Wilson Kiss e Dráusio de Oliveira.




02 - MEMÓRIA


*Albert Paulsen (Joseph Baresh): Renato Restier.
*Leonard Stone (Dimitri Soska): Arakén Saldanha.
*William Keene (Janos Karq): José Soares.
*Gene Dynarski (sargento da guarda): Flávio Galvão.




03 - OPERAÇÃO ROGOSH

*Fritz Weaver (Rogosh): Arakén Saldanha.
*Allan Joseph (médico): José Soares.
*Charles Maxwel (Lazloff): Aldo César.
*James Lauphier ((Klimi): Batista Linardi.
*Svea Grunfeli (Juíza): Gessy Fonseca.




04 - LIBERTANDO VOSSEK - PARTE 1

*Mary An Mobley (Kristal): Rita Cleós.
*Cyril Delavanti (cardeal Vossek): Older Cazarré.
*Joseph Ruskin (coronel Soutari): Aldo César.
*Oscar Beregi (Comandante): Batista Linardi.
*William Wintersole (Capitão): Dênis Carvalho.
*Monte Markham (Tosk): Flávio Galvão.




05 - LIBERTANDO VOSSEK - PARTE 2

*Mary An Mobley (Kristal): Rita Cleós.
*Cyril Delavanti (cardeal Vossek): Older Cazarré.
*Joseph Ruskin (coronel Soutari): Aldo César.
*Oscar Beregi (Comandante): Waldyr Guedes.
*William Wintersole (Capitão): Dênis Carvalho.
*Monte Markham (Tosk): Flávio Galvão.

OBS> Na parte 2 deste episódio, o dublador Waldyr Guedes substituiu Batista Linardi que dublara o mesmo personagem na parte 1.


06 - APOSTANDO NO MAL

*Nico Minardos (Carlos): Neville George.
*Nehemiah Persoff (príncipe Iben Kostas): Waldyr Guedes.
*Vincent Van Lynn (Borgman): Astrogildo Filho.
*Lawrence Montaigne (Aide): Flávio Galvão.


**Participam os dubladores: Xandó Batista e Dênis Carvalho




07 - A  ELEIÇÃO

*Mark Lenard (Comandante): Renato Restier.
*Percy Rodriguez (Capitão): Wilson Kiss.
*Tom Hernandez (Sargento): Hugo de Aquino Júnior.
*Jonathan Kidd (registrador de votos): José Soares.
*David Fresco (O Libertador): Xandó Batista.
*Edmund Pontini (O Nacionalista): Astrogildo Filho.


**Participam os dubladores: Borges de Barros e Dênis Carvalho.




08 - O  RESGATE

*Lin McCarthy (George): Renato Restier.
*William Smithers (Iga): Wilson Kiss.
*Joe Mantel (Gorman): Arakén Saldanha.
*Allen Joseph (Dr. Green): José Soares.
*Cheryl Callaway (Sandy): Neuza Maria.
*Walter Mathews (detetive): Neville George.

**Participam os dubladores: Magno Marino, Flávio Galvão e Dênis Carvalho.




09 - O ROLO DA FITA

*Richard Devon (inspetor Gulik): Arakén Saldanha.
*Warren Vanders (Holbeek): Dênis Carvalho.
*Curt Lowens (tenente Daglieri): Batista Linardi.
*Gerard Michenaud (Pieter): Maria Inês.
*Eric Lord (lojista): Renato Restier.
*Todd Martin (o pai): Waldyr Guedes.
*Lynn Wood (a mãe): Gessy Fonseca.


**Participam os dubladores: Judy Teixeira, José Soares Flávio Galvão  e Emerson Camargo.




10 - OS  PORTADORES

*Arthur Hill (Janos Passik): Hélio Porto.
*George Takei (Roger Lee): Dênis Carvalho.
*Barry Russo (Tiso Kastner): Astrogildo Filho.


**Participam os dubladores: Sílvio Matos, Batista Linardi e Sílvio Navas.






11 - O FANTASMA DE ZUBROVNIK

*Martine Bartlett (Ariana Domi): Gessy Fonseca.
*Donald Davis (sr. Poliack): Renato Restier.
*Beatrice Straight (Dra. Martha Richards): Judy Teixeira.
*Frank Oberschall (Kroeger): Dênis Carvalho.
*Voz de Kurt (fantasma): Sílvio Matos.




12 - A  FARSA

*Lloyd Bridges (Karson): José Soares.
*Sid Haig (Hidalgo): Astrogildo Filho.
*Alberto Monte (atendente do hotel): Carlos Alberto Vaccari.
*Ken Renard (assistente da gerência do hotel): Xandó Batista.
*Voz do narrador do rádio no carro: Ibrahim Barchini.

**Participam os dubladores: Arakén Saldanha, Dráusio de Oliveira, Dênis Carvalho e Hugo de Aquino Júnior.




13 - ELENA

*Barbara Luna (Elena): Neuza Maria.
*Barry Atwart (Carlos): Arakén Saldanha.
*Abraham Sofaer (Tomás): Renato Restier.
*Valentin DeVargas (Miguel): Aldo César.
*Renzo Cezana (Buena Fortuna): Xandó Batista.
Ann Ayars (sra. Del Barra): Judy Teixeira.

**Participam os dubladores: Batista Linardi e Flávio Galvão.




14 - JOGO DE ESPIÕES

*Albert Dekker (Fithicovik): Bruno Netto.
*Hans Gudegast (coronel Shtemenko): Amaury Costa.
*Joe Sirola (Suverin): Dráusio de Oliveira.
*Edward Colmans (prof. Napolsky): Older Cazarré.


OBS> A abertura deste episódio é realizada por um narrador desconhecido.




15 - O  LEGADO


*Donald Harron (Graff): Carlos Alberto Vaccari.
*Lee Bergere (Alfred Kuderlee): José Soares.

*Bill Fletcher (Max Brucker): Neville George.

*Claude Woolman (Paul Von Schneer): Telmo de Avelar.

*John Crawford (Dr. Lubell): Xandó Batista.

*Patrick Horgan (Erich Wolfe): Flávio Galvão.


OBS 1> A partir deste espisódio o ator Martin Landau passa a ser dublado por Aldo César.


OBS 2> A partir deste episódio a abertura é narrada por Ibrahim Barchini.






16 - O DRAGÃO RELUTANTE

*Joseph Campanella (Dr. Cherlotov): Neville George.
*John Colicos (Iankovski): Telmo de Avelar.
*Mala Powers (Karen): Gessy Fonseca.
*Michael Forrest (Lupesh): Flávio Galvão.
*Elisa Ingram (Sofia): Líria Marçal.
*Alex Rodnet (Prof. Duchinoff): Xandó Batista.
*Norbert Schiller (Lauchek): Amaury Costa.

**Participam os dubladores: José Soares, Carlos Alberto Vaccari, Carlos Campanile e Sílvio Navas.



17 - A  CILADA

*Simon Oakland (Jack Wellman): Arakén Saldanha.
*Arthur Batanides (Tino): Astrogildo Filho.
*Joe Maross (Frank Bates): Carlos Alberto Vaccari.
*Joe de Santis (Vito): Xandó Batista.
*Mort Mills (Al Souchek): Dante Ruy.

**Participa deste episódio a dubladora Magda Medeiros.



18 - O  JULGAMENTO

*Carroll O'Connor (coronel Varshi): Arakén Saldanha.

*David Opatoshu (Anton Kudnov): Dante Ruy.
*Michael Strong (Barsky): Hélio Porto.
*Don Keefer (Zubin): Aldo César.
*Ivan Triesault (Palatinov): Renato Restier.
*Gail Kobe (Lisa Goren): ???
*Paul Lukather (Moisev): Sílvio Matos.


OBS 1> Neste episódio, o ator Martin Landau é dublado por Rolando Boldrin.


OBS 2> Neste episódio, a abertura é narrada por Antônio Celso.




19 - O  DIAMANTE

*John van Dreelen (Henrik Durvard): Bruno Netto.

*Harry Davis (Hans van Meer): Carlos Alberto Vaccari.
*Woodrom Parfey (Henks): José Soares.
*Peter Bourne (Peters): Flávio Galvão.
*Ivor Barry (Ian McCloud): Xandó Batista.

**Participa deste episódio o dublador Amaury Costa.




20 - A  LENDA

*Gunnar Hellstrom (Frederich Rudd): Dante Ruy.
*Gene Roth (Von Cramm): Renato Restier.
*Voz do boneco (comandante Martin Borman): Sílvio Matos.

**Participa deste episódio o dublador Eleu Salvador.


OBS> Neste episódio, o ator Martin Landau é dublado por Rolando Boldrin.



21 - BOLA DE NEVE NO INVERNO

*Ricardo Montalban (Gerard Sefia): Astrogildo Filho.
*Emile Genest (Dr. Kranen): Arakén Saldanha.
*Warren Kemmerling (Raff): Carlos Alberto Vaccari.
*Steven Marlo (Faud): Flávio Galvão.


22 - A  CONFISSÃO

*Pat Hingle (R. J. McMillan): Dênis Carvalho.
*David Shiner (Solowiecheck): Batista Linardi.
*Ken Smith (senador William Tousend): Renato Restier.
*Biff Elliott (guarda): Xandó Batista.
*Robert B. Williams (proprietário): Dante Ruy.

**Participa deste episódio o dublador Magno Marino.



23 - AÇÃO !

*J.D.Cannon (Mikos Klaar): Miguel Rosenberg.
*Tom Troupe (David Day): Flávio Galvão.
*Julian Burton (Petyov): Bruno Netto.
 *Eric Feldary (assistente de direção): Borges de Barros.
*Alfred Shelly (guarda): Dênis Carvalho.


24 - O  TREM

*William Windon (Milos Pavel): Amaury Costa.
*Rhys Williams (1º ministro Larya): Renato Restier.
*William Schallert (Dr. Harrison Selby): José Soares.
*Noah Keen (Androv): Neville George.
*Richard Bull (Don Van): Bruno Netto.
*Booth Colman (Dr. Huss): Flávio Galvão.

**Participam deste episódio os dubladores: Eleu Salvador e Jorge Barcellos.


25 - CHOQUE

*James Daly (Carl Wilson): Amaury Costa.
*Sorrell Booke (Peter Kiri): Renato Restier.
*Stanley Waxman (Davis): Miguel Rosenberg.
*Patrick Michenaud (Duv): Zezinho Cútolo.
*Gerard Michenaud (Fydor): Maria Inês.
*Vic Perrin (Dr. Drake): Carlos Alberto Vaccari.

**Participa deste episódio o dublador Dênis Carvalho.



26 - UM CUBO DE AÇÚCAR

*Francis Lederer (Senko Brobin): Arakén Saldanha.
*Jacques Denbeaux (Deane): Bruno Netto.
*Lou Robb (Doutor): Flávio Galvão.
*Max Kleven (enfermeiro): Osmar Prado.
*Kurt Kreuger (Polya): Eleu Salvador.

**Participam deste episódio os dubladores: Áurea Maria e Hugo de Aquino Júnior.



27 - O  TRAIDOR

*Eartha Kitt (Tina Mara): Áurea Maria.
*Malachi Throne (Brazneck): Amaury Costa.
*Lonny Chapman (Edward Hughes): Borges de Barros.
*Frank Marth (Koler): Wilson Kiss.
*Michael Rye (Belson): Dênis Carvalho.
*Paul Sorensen (guarda): José Soares.
*Ed McCready (operador de teletipo): Xandó Batista.

**Participa deste episódio o dublador Flávio Galvão.



28 - A  VIDENTE

*Barry Sullivan (Alex Lowell): Neville George.
*Milton Selzer (Jan Vormitz): Miguel Rosenberg.
*Richard Anderson (Juiz): Arakén Saldanha.
*Paul Mantee (Mueller): Flávio Galvão.
*Michael Pataki (Ed): Sílvio Navas.

**Participam deste episódio os dubladores: Neuza Maria e Borges de Barros.



**Mais uma extraordinária dublagem da AIC !!!

**Fonte de Pesquisa:

*Site Retro TV*
*Distribuidora Viacom Company*
*Acervo Pessoal*

**Marco Antônio dos Santos**

12 de maio de 2013

MEMÓRIA AIC (18): OS VIOLENTOS


Os Violentos (The Outcasts) foi uma série de televisão de curta duração do gênero western, criado por Ben Brady e Leon Tokatyan, estrelado por Don Murray e Otis Young, e principalmente notável por mostrar pela primeira vez na televisão americana um ator afroamericano protagonizando um seriado de faroeste.

A série  girava em torno da generosidade de um caçador branco chamado Earl Corey que se torna amigo de um escravo recentemente libertado conhecido como Jemal David, por volta de 1860, em algum lugar do Velho Oeste. 

Embora o seriado tenha tido somente uma temporada, ele conseguiu refletir todo o clima racial americano da década de 1960, mais do que demonstrar uma boa qualidade própria, já que a série também foi bastante criticada pela violência, para aquela época, considerada muito excessiva. 

Várias dinâmicas foram transpostas para a série, como os dois heróis que eram muito amigos, bons parceiros e ambos demonstravam grande generosidade ao caçar, apesar de sempre um necessitar do outro para alcançar seus objetivos. Ainda assim, havia uma sutil dicotomia do tipo pobre-rico, branco-negro em diversos momentos. 




Earl Corey já havia sido em tempos passados, um homem muito rico que mantinha uma grande plantação, mas que tinha perdido tudo. Por outro lado, Jemal David tinha sido um escravo e nunca possuiu coisa alguma, mas agora podia lutar para ter o que desejasse. De uma maneira geral Corey tendia a estar sempre tenso neste novo momento de sua vida, enquanto que Jemal levava as coisas sem muita dificuldade. 

A série foi apresentada originalmente nos Estados Unidos pela rede ABC, entre 23 de setembro de 1968 a 5 de maio de 1969, num total de 26 episódios.

Embora os temas dos roteiros de cada episódio possuíssem um conteúdo para levar à reflexão a condição do ser humano, Os Violentos não obteve audiência  necessária para implacar uma possível 2ª temporada. Os americanos conviviam com a Guerra do Vietnã, problemas raciais e não desejavam assuntos tão profundos para assistir pela televisão.

 A série utilizou o gênero western, mas fugiu das estruturas dos demais seriados da época, procurando abordar a liberdade de expressão, a opressão de classes sociais, o preconceito, etc.





**A SÉRIE NO BRASIL**

 
Os Violentos estreou no dia 11 de janeiro de 1970 pela TV Record, uma sexta-feira, às 23h. A forte Censura no Brasil não vetou a série, mas determinou que não fosse exibida antes das 20h.
A TV Record, trouxe essa série para que fosse exibida durante os meses do início do ano e, acreditava que o público brasileiro não a rejeitasse como o público americano.


Entretanto, os brasileiros estavam acostumados com séries de western, com cunho familiar, como Bonanza, Big Valley, Lancer e até o agente James West.  Sendo assim, não conseguiram assimilar a nova proposta do seriado.


A TV Record exibiu durante 3 meses, mas a retirou da programação. Ainda com episódios inéditos e com os direitos de exibição, Os Violentos era exibido sem aviso prévio, apenas ocupando uma lacuna deixada por algum programa.


Sendo assim, em 1972, Os Violentos migra para a TV Bandeirantes, a qual formou um horário nobre de séries de western com Laramie, Big Valley, Laredo, Cavalo de Ferro e Os Violentos.

Com o advento da tv a cores no Brasil, naquele ano, foi a 1ª vez que essas séries foram exibidas coloridas e, isso, gerou muito interesse do público, o qual aceitou razoavelmente Os Violentos.
A TV Bandeirantes manteve essa programação até 1974.





A crise financeira na TV Record começou a se aprofundar e em 1977, a emissora retorna com Os Violentos, porém (com receio de espantar o telespectador), alterou o nome da série para "DOIS CONTRA O OESTE".

Para isso, a abertura com a narração de Carlos Alberto Vaccari foi extirpada. Após a exibição dos 26 episódios, Os Violentos retornaria em 1981 na Sessão Bang-Bang da Record, ficando até 1983, porém com o mesmo título: "Dois Contra o Oeste".


  Consta que esta teria sido a última exibição da série no Brasil.



**A DUBLAGEM DO SERIADO**


Dublado no 2º semestre de 1969, Os Violentos tinha somente dois personagens, os quais tinham uma grande interpretação.

Acertadamente foram escolhidos João Ângelo para dublar o negro Jemal David e Francisco Borges para a dublagem de Earl Corey.

Sem dúvida alguma, um grande momento na carreira desses dois dubladores, que conseguiram imprimir toda a carga de dramaticidade, de experiências de vidas diferentes que os personagens traziam.
A integração dos dois dubladores foi extraordinária, demonstrando a excelência profissional de ambos.


**João Ângelo**

Houve diversos atores convidados, que foram dublados ainda por um elenco de enorme qualidade: Marcelo Gastaldi, Waldyr Guedes, Xandó Batista, Rebello Neto, Batista Linardi e tantos outros.




**Francisco Borges**

Infelizmente, não conseguimos informações a respeito da existência desta dublagem e , ao que tudo indica é uma série que nem tvs a cabo possuem interesse. 


Isso demonstra a falta de sensibilidade das emissoras, pois devido aos temas abordados em Os Violentos, muitos ainda são atuais, sobretudo, em países como o Brasil.

A dublagem desta série é mais uma que ficará no arquivo de tantas memórias auditivas da AIC !!


**Vamos rever 1 episódio de Os Violentos**






*Colaboração: José Alexandre Garcia**
**Fonte de Pesquisa: Revista Amiga, maio/1974**



**Acervo Pessoal** 

**Marco Antônio dos Santos**