14 de julho de 2016

CLÁSSICOS H.B. / AIC (05): O SHOW DE PETER POTAMUS


Peter Potamus foi um desenho animado produzido pela Hanna-Barbera Productions, com roteiros de Tony Benedict, Warren Foster e Dalton Sandifer, através dos produtores Joseph Barbera e William Hanna, cujas primeiras matérias promocionais deste deste show levava o título de Peter Potamus and his Magic Flying Ballon, porém esse título nunca apareceu nos desenhos animados.

O desenho animado começou a ser apresentado pela primeira vez nos Estados Unidos, em syndication, em 16 de setembro de 1964, num programa de meia hora de duração, e dividido em três segmentos, onde Peter Potamus era sempre o primeiro segmento a ser apresentado. Depois vinham o segmento de Matracatrica e Fofoquinha e os desenhos animados de Mosquete, Mosquito e Moscardo.

Depois de dois anos, o show passou a ser transmitido com exclusividade pela rede ABC, onde foi definitivamente denominado de “The Peter Potamus Show”, assim como foi licenciada pela Whitman Publishing para diversos usos, tais como livros para colorir, assim como pela Gold Key Comics, que começou a lançar os quadrinhos de Peter Potamus, em 1965.


Peter Potamus era um hipopótamo roxo e muito simpático que viajava através do tempo num balão inflável, juntamente como seu companheiro, um macaco também muito alegre chamado carinhosamente de So-So, que no Brasil ficou conhecido pelo nome de Tico-Mico.

Assim que eles giravam um relógio do tempo, Peter Potamus e Tico-Mico viajavam através do tempo para passados distantes como na idade das cavernas ou então para épocas mais recentes nos tempos coloniais.

Assim como muitos viajantes do tempo, quando as coisas começavam a dar errado, Peter e Tico-Mico podiam redefinir os eventuais desvios ao longo do curso da história e com isso aprendia muito sobre a história.

Peter Potamus gostava de usar um capacete e uma jaqueta safári  e Tico-Mico usava somente um boné e uma camiseta. Quando Peter Potamus começava a ter problemas e usava de sua arma secreta, o seu super sopro, que era tão forte e conseguia até arremessar seus adversários para bem longe ou então usar o sopro para fazer com que o balão alcançasse mais velocidade.


O personagem de Peter Potamus era vocalizado originalmente por Daws Butler e o seu ajudante o macaco So-So recebia a voz de Don Messiack e, no Brasil, foi dublado magistralmente pela AIC.
Infelizmente, houve a perda da dublagem de alguns episódios, os quais foram, pessimamente, redublados.

Os desenhos de Peter Potamus, assim como do Gorila Maguila, que também surgiu pela mesma época, não chegaram a fazer tanto sucesso com os outros personagens de Hanna-Barbera, mas mesmo assim a dupla Potamus e Tico Mico apareceu em “A Arca do Zé Colméia"

**DUBLADORES**

*PETER POTAMUS: JOSÉ SOARES*
*TICO-MICO: HUGO DE AQUINO JÚNIOR*



*VAMOS REVER 2 EPISÓDIOS*

*EPISÓDIO 1*
video


*EPISÓDIO 2*
video


O segmento de Breezly and Sneezly, conhecido no Brasil como Matracatrica e Fofoquinha mostrava as aventuras de um urso branco polar muito engraçado e astuto chamado Matracatrica (Breezly Bruin) e o seu companheiro uma pequena foca chamada Foquinha (Sneezly Seal) que vivia gripado.

Os dois moravam num iglu, em pleno Ártico e em quase todos os episódios mostravam o ambicioso urso, planejando e arquitetando uma forma de arrombar o acampamento do exército, para roubar ou desfrutar de alguma coisa de lá, diante dos olhos atentos do Coronel Mandragão (Fusby).


Durante a primeira temporada, dentro do programa de Peter Potamus, o segmento de Matracatrica e Fofoquinha teve 23 episódios e na segunda temporada o segmento acabou sendo substituído pela do Coelho Ricochete e Blau-Blau.

Os desenhos desse segmento não tiveram mais vida depois de seu encerramento, ao contrário de outros personagens secundários de Hanna-Barbera, mas assim mesmo foram utilizados para brinquedos e lancheiras, mas de forma menor. A Gold Key nunca publicou uma história em quadrinhos especialmente para eles.

**DUBLADORES*

*MATRACATRICA: FLÁVIO GALVÃO*
*FOFOQUINHA: OLNEY CAZARRÉ*
*CORONEL MARZAGÃO: GASTÃO RENNÉ (1ª voz) e OSMIRO CAMPOS (2ª voz)*

*VAMOS REVER 1 EPISÓDIO*

video



Yippee, Yappee and Yahooey, também conhecido como Mosquito, Mosquete e Moscardo era um desenho animado que possuía um enredo muito simples, baseado em três mosqueteiros muito atrapalhados, que serviam e protegiam o Rei. 

Em suas aventuras eles cruzavam com dragões e outros tipos de vilões. A série teve 23 episódios, de aproximadamente 6 minutos cada. As vozes dos personagens principais foram vocalizadas por Doug Young como Yuppee; Daws Butler como Yahooey e Hal Smith como Yappee e The King.


Na realidade este desenho animado não tem antecedente direto com a Hanna-Barbera Productions, é apenas uma paródia de Os Três Mosqueteiros, que Hanna e Barbera utilizaram quando ainda eram diretores de estúdio na MGM, e utilizaram dentro do elenco de Tom & Jerry como The Two Mousekeeters. Depois reaproveitados para preencher um segmento dentro do show do Peter Potamus.

Os três mosqueteiros deste desenho animado têm quase nada a ver com a real história dos mosqueteiros que estamos acostumados a ver, mas passavam bem perto, o suficiente para provocar risos nas crianças. Depois do encerramento da série de The Peter Potamus Show, essa animação nunca mais foi utilizada.


*DUBLADORES*
*Mosquito: Wilson Ribeiro.
*Moscardo: César Leitão.
*Mosquete: Roberto Barreiros (1ª voz) e Borges de Barros (2ª voz).
*Rei: Older Cazarré.

*VAMOS REVER 1 EPISÓDIO*

video

O Show de Peter Potamus foi exibido em diversas emissoras brasileiras, mas após o surgimento da tv a cabo, os segmentos foram desmembrados e ainda são exibidos, eventualmente, agora pelo canal Tooncast.

A extraordinária dublagem brasileira da AIC para estes desenhos foi mais uma demonstração da qualidade que era realizada pelo estúdio, e ficou um legado de uma verdadeira obra de arte.

**PARABÉNS A TODOS OS DUBLADORES QUE PARTICIPARAM*


A título de curiosidade, temos aqui um episódio de Peter Potamus e Tico-Mico que foi redublado, devido à perda da dublagem.

A redublagem foi necessária, mas ficou um trabalho de péssima qualidade, devido à total falta de uma direção de dublagem que atendesse às características dos personagens.

Analisem, comparem e tirem as suas próprias conclusões!!!!


video

*Marco Antônio dos Santos*

26 de maio de 2016

RELÍQUIAS DA DUBLAGEM (08): PLANETA DOS MACACOS


Baseado no livro "La Planète des Singes" do francês Pierre Boulle, estreava em agosto de 1968 nos cinemas o filme "Planet of the Apes" (Planeta dos Macacos no Brasil). Protagonizado por Charlton Heston, o filme foi um sucesso total, tanto de bilheteria quanto de crítica, e as inevitáveis (e fracas) continuações vieram nos anos posteriores. Porém o que pouca gente se lembra, é que após essas continuações, no ano de 1974, a rede de TV americana CBS produziu uma série com o mesmo nome.


A série "Planeta dos Macacos" estreou em 1974 como sendo uma continuação direta dos 5 filmes que haviam sido exibidos entre 68 e 73. O tema central trazia de volta um futuro distópico onde a humanidade praticamente se destruiu através da guerra nuclear e os macacos, nesse vácuo de civilização, evoluíram e se tornaram a sociedade dominante no planeta. Diferentemente dos filmes onde os poucos humanos sobreviventes estão tão involuídos que sequer falam, os da série até possuem uma pequena sociedade que sobrevive à sombra da dos macacos.

 Humanos vivem para servir os símios, muitas vezes até escravizados por eles, mas não são meramente irracionais. Sãos pessoas que desenvolvem habilidades primitivas como agricultura e criação de animais, e que se comunicam através da fala. Porém sempre sob o julgo dos macacos que são claramente superiores tanto tecnologicamente quanto intelectualmente.

Os macacos por sua vez são apresentados divididos em três classes distintas: Os pacíficos chimpanzés que representam, a maioria da população, os truculentos gorilas que desempenham o papel militar e de segurança da sociedade símia, e por fim os orangotangos, claramente os mais inteligentes e que ocupam o lugar de cientistas, guardiões da sabedoria e governantes de fato.


Alan Virdon, Peter Burke e o chimpanzé Galen, o trio protagonista da série.
É nesse cenário que chegam vindos do passado os dois protagonistas humanos: Alan Virdon (Ron Harper) e Peter Burke (James Naughton), astronautas que chegam em uma espaçonave à procura de seus compatriotas que haviam desaparecido nos filmes. A princípio, como os protagonistas dos longas, a dupla acha que está em outro planeta, mas logo descobrem que estão no futuro da própria Terra e que seus companheiros estão mortos. Aliados a um chimpanzé chamado Galen (Roddy MacDowall) passam a procurar por uma maneira de voltar ao passado ao mesmo tempo que fogem da polícia secreta dos gorilas que querem capturá-los e matá-los.

Virdon é o grande herói da história. O humano de boa índole e princípios morais que aceita o companheiro chimpanzé sem preconceitos e está sempre disposto a ajudar a todos que encontra pelo caminho independente de que espécie sejam. Também é o personagem atormentado que não desiste jamais de encontrar uma forma de voltar ao lar.


Burke é o alívio cômico. É quem faz piadas e leva tudo na brincadeira. Também é o mulherengo da dupla que desperta a paixão das humanas por onde passa com sua simpatia contagiante.

Porém, é Galen quem se sobressaí. O ator já havia interpretado dois chimpanzés nos filmes da franquia, Cornélius e seu filho César, e já estava acostumado com a indumentária e principalmente com a pesada maquiagem utilizada na produção do personagem. Galen é um símio que acaba por se tornar um pária dentro de sua própria sociedade por ajudar os humanos forasteiros. Ele questiona o próprio mundo onde vive e o fato de os orangotangos reterem informações importantes sobre a evolução dos macacos e sobre a existência e colapso da sociedade humana no passado.

Zaius

Entre os principais coadjuvantes, Booth Coleman interpreta o dr. Zaius, o grande líder e cientista da sociedade dos macacos. Zaius sabe da existência de uma sociedade humana altamente desenvolvida no planeta que se destruiu no passado. Contudo esconde tudo dos demais pois sabe que a atual supremacia símia se deve à crença de que os humanos sempre foram uma sub-raça inferior a dos macacos. Ele entende que de posse de tal informação, humanos servis podem se rebelar e uma guerra entre macacos e humanos poderia ser debelada. Por isso teme os forasteiros que conhecem tecnologias superiores e representam um possível renascimento da gloriosa sociedade humana do passado e fará de tudo para destruí-los.

Urko

O general Urko, interpretado por Mark Lenard, é o líder militar do exército de gorilas da sociedade símia.  Seus homens formam uma espécie de polícia secreta, truculenta e preconceituosa e que visa o total controle e escravização dos humanos. Sua natureza violenta e homicida só é refreada  por Zaius e sua inteligência e sabedoria. Fica claro na história que se não fosse pelo orangotango, Urko provavelmente já teria exterminado todos os humanos. É Urko quem persegue incessantemente, a mando de Zaius, o trio de protagonistas a cada episódio, sendo sempre ludibriado por eles que são cientes de sua pouca inteligência.

A Série e seu Final Prematuro

A série começou bem, com boa audiência, bons cenários e maquiagem esplendorosa, que realmente passava a sensação de reais expressões faciais e emoções nos macacos. Mas logo caiu na mesmice e perdeu público. Em quase todo o episódio um dos protagonistas era capturado pelos gorilas e cabia aos outros dois a missão de salvá-lo. Os três estavam sempre vagando sem rumo e encontrando humanos a quem sempre ajudavam, quase esquecendo o objetivo principal que era achar um meio de voltar para seu próprio tempo.

 Além disso, os roteiristas acabaram introduzindo uma série de inverossimilhanças que incomodavam o espectador, como por exemplo o fato de, cúmulo do absurdo, os humanos invariavelmente vencerem os gorilas em confrontos corporais. Para piorar a situação o custo de cada episódio era proibitivo, cerca de 250 mil dólares, devido ao alto custo dos equipamentos e das maquiagens que além de demandarem uma equipe de maquiadores três vezes maior dos que as habituais em séries televisivas, ainda eram motivo de reclamações constantes por parte dos atores devido a seu peso, tempo despendido para a confecção e sensação de calor e abafamento que causavam.


O horário em que era exibida também não ajudava (20h. de sexta- feira), e nos estertores finais a produção executiva ainda tentou contratar como editores de roteiro a dupla Ken Ruby e Joe Spears, especialistas em programas infantis, na esperança de atrair um público mais jovem. Não conseguiram e ainda contribuíram mais para a perda do público mais velho. Diante disso tudo, a série foi encerrada com apenas 14 episódios e sem um final para a história.

 No último episódio exibido em 20 de dezembro de 1974, o trio de protagonistas estava na mesma situação que se encontravam no piloto, perdidos em um mundo selvagem e sendo perseguidos pelas forças militares de uma sociedade que os teme pelo que representam: esperança para a raça humana.

**A SÉRIE NO BRASIL**

Planeta dos Macacos estreou no Brasil em janeiro de 1976 através da Rede Globo. O fato da série ter somente 14 episódios, foi perfeito para a emissora exibir em seu período de férias, às segundas-feiras, após a novela.

Ao contrário do que ocorrera nos Estados Unidos, a série teve uma boa audiência no Brasil e logo conquistou seus seguidores.
Mesmo após o término da sua exibição, a série continuou em poder da Rede Globo que a reprisou durante as madrugadas de sábado entre 1979/80 e, retornando, agora esporadicamente, entre 1984/85.

Planeta dos Macacos foi exibido também na TV Guaíba de Porto Alegre entre 1987/88 e também pelo SBT,no início da década de 1990, de forma muito irregular com diversas alterações nas exibições de dias e horários. A série chegou a ser exibida aos domingos às 7h da manhã.

**A DUBLAGEM DE O PLANETA DOS MACACOS**


*Rodney Gomes*

Uma dublagem que reuniu diversas vozes do melhor quilate carioca em meados da década de 1970. O estúdio Tecnisom foi altamente primoroso na escolha dos dubladores fixos e também para os convidados, além de uma direção de dublagem impecável.
Nota-se este fato ao assistirmos aos 14 episódios, há uma harmonia, um conjunto, um equilíbrio extraordinário na dublagem realizada, sobretudo na interpretação.


*Antônio Patiño*


*Ioney Silva*

*ELENCO FIXO / DUBLADORES*

*Roddy McDowall como Galen / RODNEY GOMES *
*Ron Harper como Alan Virdon / ANTÔNIO PATIÑO*
*James Naughton como Peter J. Burke / IONEY SILVA*
*Mark Lenard como General Urko / MÍLTON LUÍS*
*Booth Colman como Conselheiro Zaius / PIETRO MÁRIO*


*Mílton Luís*


*Pietro Mário*

Entre os diversos dubladores para os atores convidados há a presença de Diana Morel, José Santana, Magalhães Graça, Pádua Moreira, Thelmo de Avelar, Gualter de França, Isaac Bardavid, Miguel Rosenberg, Ruth Shelsek, Ênio Santos, Maurício Barroso, Ida Gomes, entre muitos outros.

Uma obra perfeita da dublagem brasileira, realizada em 1975, que merece os nossos aplausos!


*VAMOS REVER 2 TRECHOS DE O PLANETA DOS MACACOS*


**EPISÓDIO: O LOGRO**
video



**EPISÓDIO: O INTERROGATÓRIO**
video


**Marco Antônio dos Santos**